Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BURRO VELHO

BURRO VELHO

17
Jan24

Da atualidade política - as surpresas do PSD

BURRO VELHO

Screenshot_20240116_175515_Gallery.jpg

 

Montenegro prometeu surpresas, presume-se que boas, nos independentes que o PSD conseguiria atrair para integrarem as suas listas de candidatos a deputados na Assembleia da República, e Montenegro já começou a mostrar aos portugueses que cumpre as suas promessas, conseguiu atrair o senhor ex-bastonário da Ordem dos Médicos Manuel Guimarães. Sim, e mais, surpresas mesmo boas?

Dizem que quando cheira a poder os tais quadros aparecem a correr, mas aparentemente o timoneiro do PSD não conseguiu arregimentar ninguém sonante para as listas, será que sou só eu a achar isto até embaraçoso?

 

07
Jan24

Da atualidade política - a AD, o PSD e o PPM de Gonçalo da Câmara Pereira

BURRO VELHO

Screenshot_20240106_184127_Gallery.jpg

 

Alguns políticos não enjeitam qualquer estratégia e aliança política se estiverem convencidos que isso lhes possa trazer votos, para poder usar a sigla saudosista da velha AD e ao coligar-se com este PPM, o PSD está a mandar para as urtigas qualquer ideia de honorabilidade ou de ideologia política, Gonçalo da Câmara Pereira em nada é melhor do que André Ventura, mas o que importa é Luís Montenegro chegar ao poder. E sim, se chegássemos a tanto viria aqui penitenciar-me e dar a mão à palmatória, mas alguém duvida que se Montenegro precisasse de se coligar com o Chega para ser primeiro-ministro que o faria sem pestanejar?

'Diz-me com quem andas, dir-te-ei quem és'!

 

25
Nov23

Da atualidade política - a deserção ou o deserto no PSD

BURRO VELHO

Imagem_PSD.png

 

Algo que sempre valorizámos nas nossas democracias ocidentais foi a alternância entre dois blocos políticos, assentes em ideias humanistas e democráticas, longe de extremismos e capazes de atrair elites de vários quadrantes, que é mais ou menos o mesmo que dizer que cá pelo burgo termos o PS e o PSD como partidos fortes e consolidados era bastante positivo para o nosso regime político, coadjuvados por alguns partidos mais pequenos que enriqueciam o debate e as lutas políticas.

Esse conceito dos grandes blocos políticos já era, vai sendo estilhaçado cada vez que um país europeu é chamado às urnas, e sabemos quem é que invariavelmente se abeira do poder, os Milei, Geert Wilders e amigos que tais que por estes dias se reuniram alegremente em Lisboa.

Vamos reconhecendo todos em surdina que hoje em dia só os malucos, desesperados ou incompetentes se prestam ao frete de estar na política, quem é que na sua vida organizada se quer sujeitar ao escrutínio e ao vilipêndio a troco de uma remuneração tão pouco atrativa, mas admitindo isso é aflitivo ver a estatura dos políticos que querem estar no protagonismo da ribalta.

Se há dias citei um artigo da Clara Ferreira Alves sobre a supremacia moral do PS (ler com a devida dose de ironia, ok?), hoje reflito sobre a deserção (ou será antes o deserto?) no PSD - o que resta da família laranja vai hoje reunir para rever os estatutos e catapultar o seu líder para uma onda vencedora, mas quando vemos que o PSD quer que entreguemos o nosso voto de confiança ao líder candidato a PM e às hostes que o acompanham, quando olhamos para Montenegro do orçamento pipi, Balseiro Lopes, Miranda Sarmento, Leitão Amaro, os Hugos Soares e Carneiro, a eterna promessa jotista Pedro Duarte ou outros que não fixamos sequer o nome, só nos apetece pôr as mãos na cabeça e censurar aqueles que tática e levianamente vão ter falta por comparência, isto no pressuposto que ainda existe uma família social democrata em Portugal que canta entusiasticamente o hino escrito por Paulo de Carvalho, Paz, Pão, Povo e Liberdade, todos juntos no caminho da verdade.

É de chorar a rir pensar que este PSD não vai conseguir agarrar a sua oportunidade, chorar a rir ou apenas chorar sem rir, mas se queremos os melhores quadros a governar o país, talvez então seja um bom princípio deixarmos de dizer coletivamente que os políticos são todos uns corruptos (sabemos que o atual contexto em nada o ajuda) e defendermos que recebam melhores salários, talvez isso possa ser um pequeno incentivo a que haja mais gente a dizer 'estou presente'.

 

22
Jun23

Da atualidade política - Luís Montenegro

BURRO VELHO

Screenshot_20230621-141817_Gallery.jpg

 

Há um senhor chamado Joaquim Pinto Moreira que já foi presidente da câmara de Espinho, deputado do PSD e é amigo pessoal do candidato a primeiro-ministro Luís Montenegro, também ele da cidade de Espinho.

Ora, quando foi constituído arguido no caso Vortex, muito genericamente por umas maroscas muito manhosas com dinheiros e contratos lá por aquelas bandas, o senhor entendeu que não devia continuar a ser deputado na Assembleia da República, mas lá pensou melhor e achou que bom bom, sem avisar ninguém, era voltar a ser deputado da Nação – até aqui a história já não é bonita, mas só implicava o senhor ex-presidente e ex-deputado e a justiça que se pronunciasse, se possível rapidamente.

Mas não é que Luís Montenegro, depois da suposta surpresa e respetiva retirada da confiança política ao seu amigo, também pensou e achou que bom bom era que Pinto Moreira representasse o PSD nas Comissões Parlamentares da Defesa e da Saúde, mas calma, não nos precipitemos nos maus juízos, diz-nos Montenegro que não há aqui incoerência nenhuma, que ter assento nessas Comissões é um direito do senhor que já foi, deixou de ser e voltou a ser deputado, e, nada do que vier a ser por si defendido representa o PSD, que o senhor Pinto Moreira em nada representa o partido, exceto o facto de o PSD o ter nomeado enquanto deputado das suas fileiras.

Este episódio não é, aparentemente, uma das piores falhas de Luís Montenegro, mas não consegue acertar uma. A malta bem queria ter uma alternativa a Costa e ao seu Governo de faz-de-conta, mas really? Luís Montenegro? É fraquinho demais - ó gente social-democrata, deixem-se de seguidismos e falsos ‘politicamente corretos’ e vejam lá se lhe dão corda aos sapatos urgentemente, o país precisa dum PSD à séria.

 

17
Abr23

Da atualidade política - Luis Montenegro

BURRO VELHO

Montenegro

 

Montenegro rejeita coligações ou apoio de 'políticos racistas, xenófobos ou populistas', já é um avanço, é melhor do que nada, mas vá lá Montenegro, não sejas tão temeroso e calculista porque tantas contas podem sair-te erradas, tenta repetir comigo: EM SITUAÇÃO ALGUMA, MESMO PARA CONSEGUIR FORMAR GOVERNO, O PSD, ENQUANTO PRESIDIDO POR MIM, FARÁ QUALQUER COLIGAÇÃO OU ACORDO COM O CHEGA DE ANDRÉ VENTURA, assim, preto no branco, vá lá, não custa nada.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

Em destaque no SAPO Blogs
pub