Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BURRO VELHO

BURRO VELHO

18
Mai23

Das novelas que (não) gosto de ver - João Galamba

BURRO VELHO

Galamba

 

A Comissão Parlamentar de Inquérito da TAP já devia ter sido renomeada como a CPI Galamba, a história é tão inquietante que (por ora) ninguém está muito interessado em Pedro Nuno Santos, Medina, Christine Ourmières-Widener ou Cristina Reis, agora entre um e outro episódio de Succession não nos falta entretenimento com esta novela, pena ser tão desastrosa para o país.

É deveras intrigante tentar perceber como é que António Costa se deixou arrastar para este terreno tão lamacento – nesta altura já deve estar tão arrependido de ter querido mostrar a Marcelo quem mandava -, mas hoje estamos mesmo em pulgas é para ver como, mais logo, o cadáver político Galamba vai sobreviver às acusações de que é alvo, todas elas verosímeis e gravíssimas, aguardemos pois então.

 

06
Abr23

Da atualidade política - Comissão de Inquérito TAP

BURRO VELHO

TAP

 

No decorrer da Comissão de Inquérito à TAP soube-se que em Janeiro a senhora presidente Christine Ourmières-Widener reuniu secretamente com o grupo parlamentar do PS e ‘membros juniores’ do Governo, por recomendação do ministro das infraestruturas, para preparem a primeira audição na Assembleia da República, já no âmbito desta Comissão de Inquérito.

A presidente não se recorda de terem sido então combinadas as questões que lhe seriam colocadas na dita audiência, mas a senhora presidente também não se recordava de ter estado nessa reunião (via Teams, creio), teve de consultar a sua agenda pessoal para avivar a memória, fantochada.

Além da total falta de ética, isto é violar todas as regras – sim, o Governo e deputados da nação violaram as regras e está tudo bem: esta gente achou que era natural, com a maior descontração e desfaçatez, acertarem as perguntas e respostas entre si, entre quem ia inquirir e ser inquirido, para assim melhor ludibriarem os deputados da oposição e os portugueses em geral, isto é gravíssimo, manchando o bom nome dos ministros João Galamba e Ana Catarina Mendes, dos deputados presentes e da própria Christine.

Já vi ministros serem demitidos por menos, apurem-se as responsabilidades, isto é gravíssimo.

15
Mar23

Da atualidade política - Pedro Nuno Santos

BURRO VELHO

pedronunosantos

 

Sempre gostei do estilo de Pedro Nuno Santos, preparado, combativo, despachado, às vezes bronco e conseguia passar a ideia que estava mais preocupado em fazer do que parecer.

Na altura não comprei totalmente a ideia de que o anúncio do local do aeroporto tinha sido uma gaffe, uma precipitação, parecia um erro demasiado primário para alguém já tarimbado, admiti como plausível que aquele avanço seguido de puxão de orelhas era o resultado duma estratégia com o primeiro-ministro.

E agora o caso Alexandra Reis? Sabia? Não sabia? Afinal soube por whatsapp mas não tinha dado importância?

Claro que devia saber, claro que deu ok a que Alexandra Reis fosse destituída, claro que acompanhou a negociação do valor da indemnização, claro que achou tudo normal e até merecido, de tal forma que até quis recompensar Alexandra nomeando-a para a NAV como forma de agradecimento pelo seu trabalho na gestão da TAP, mas se até aqui o grau de gravidade ainda é incerto e discutível (vamos ver o que a comissão parlamentar de inquérito vai trazer a lume), para a estatura e futuro do político o pior terá sido depois como geriu todo o dossier e a sua saída de cena.

Confrontado com o vexame de ter de dar o dito pelo não dito, resolveu sair pelo seu próprio pé, mas, não esqueçamos, apenas por assumir a responsabilidade política, com sorte ainda ia herdar a aura de sério e corajoso que Jorge Coelho granjeou com a queda da ponte de Entre-os-Rios, mas em momento algum o ouvimos aceitar qualquer falha ou responsabilidade pessoal.

Pedro Nuno Santos era um arauto desta nova geração que trazia uma nova atitude, mais transparente, desempoeirada e menos agarrada ao poder, mas afinal veio Pedro Nuno mostrar-nos que é um político da velha escola, afinal também acha que nós portugueses somos todos uns lorpas (não era o único no atual Governo a achar o mesmo), que basta blindar-se atrás do ‘contem-me tudo off record mas não me mandem mails nem contem nada oficialmente, porque não sei nada, não vi nada, não ouvi nada’ e assim nunca se queima, está sempre tudo bem, e afinal também acha que quando é apanhado é preferível a fuga em frente, ainda não se apercebeu que o escrutínio e a exigência em relação aos políticos é hoje muito diferente do que era há dez anos atrás, afinal também acha que vale tudo e que com três de areia e duas de água do mar damos sempre a volta por cima, afinal em Pedro Nuno Santos a ética também dá lugar à chico-espertice.

E se tínhamos reagido com alguma benevolência ao caso do anúncio do aeroporto, agora que voltou a espalhar-se ao comprido já não temos dúvidas que são falhanços a mais e, na melhor das hipóteses, é um político incompetente, imponderado e pouco sério.

Ironia das ironias, com esta enorme trapalhada é bem capaz de lhe ter saído a sorte grande, não lhe anunciem qualquer morte política, é certo que foi afastado com alguns remoques mas também é certo que assim se afasta ele próprio da dupla Costa/Medina e, se não for antes, em 2026 voltará à liça fresco que nem uma alface e com estes pecados todos perdoados, que é como quem diz, esquecidos.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

Em destaque no SAPO Blogs
pub